Mandalas

 

 

Diz a tradição oriental que o centro do mandala apresenta a força espiritual misteriosa, origem e essência de tudo, de onde brota a energia que irradia em direção à periferia do círculo e para onde ela depois se recolhe.

 

Para o tibetano um mandala, usado durante  a meditação, pode abrir as portas da percepção. E você vai então poder ver que, muito mais que mente e corpo, você é um energia que está em constante contacto com o resto do Universo.

 

Você é uma pequena parte de Deus, e todas as soluções e objetos de suas buscas estão aí dentro mesmo, esperando para serem descobertos.

 

Meditando com paz e serenidade, com a ajuda do mandala, você pode conhecer seus outros "eus", mais profundos, chegando até a ultrapassar o plano pessoal para atingir uma vivência definida como "supra pessoal", uma espécie de identificação e comunhão com o Universo, um momento verdadeiramente mágico.

 

 

Meditação

 

É a arte de deixarmos nossa mente descansada e  quieta. Quando fisicamente nos sentimos cansados e exaustos, só temos uma coisa em mente: dormir, relaxar, descansar.

Essa é a maneira que encontramos para nos recuperarmos do cansaço, caso contrário, o estado contínuo de fatiga pode nos levar as doenças.

Mas nossa mente nunca descansa; pois ela se encontra ativa dia e noite. Mesmo durante o sono, ela está funcionando, mandando estímulos para que nosso corpo para se recuperar da luta diária.

O exercício da Meditação permite que você consiga desacelerar um pouquinho a sua mente. Quando nossa mente se silencia, conseguimos perceber outras vibrações inerentes ao nosso ser. Conseguimos entrar na intimidade da nossa criança/divindade/mago interior, que permite entrar em contato com os desejos mais íntimos de nossa alma. Assim, aprendemos a redirecionar nosso caminho em direção de nossa evolução como seres humanos.

Com a prática, você será capaz de parar o fluxo contínuo de pensamentos por alguns minutos, permitindo que a sua mente descanse, se recupere e se organize.

Enquanto isso, as suas funções físicas continuarão trabalhando, harmonicamente, sem a interferência da corrente de pensamentos que é capaz de provocar alterações em nosso organismo.

Meditar é se permitir não ter preocupações por alguns segundos ou minutos. É se encontrar despido de todos os pensamentos que o induzem a realização de suas ações diárias. Sem a interferência de nossos pensamentos, podemos perceber com mais clareza o propósito de nossas vidas.

O estado de relaxamento que adquirimos com a prática da meditação permite que o nosso corpo funcione de uma maneira mais equilibrada e  mais saudável.

 

 

 


Meditação com mandalas:

 


1- Busque antes e durante a meditação estar numa posição confortável, com a coluna ereta e membros relaxados.

 

2- Escolha um mandala e observe bem, pensando naquilo que você está buscando.

 

3- Quando começar a olhar para o mandala, procure aos poucos, esvaziar sua cabeça, tentando chegar ao ponto de não pensar em nada.

 

4- A idéia é chegar a preencher toda a sua mente com a imagem do mandala. Ele

 precisa ser construído dentro de você. Inicialmente olhe simplesmente para a mandala sem reparar nela realmente em termos de pormenores.

 

5- Fixe sempre olhar no centro do desenho. Perceba os detalhes captados pela sua visão periférica, sinta sua vibração, mas não se desligue do centro.

 

6- Feche os olhos olhe para a imagem por alguns momentos e depois feche os olhos e tente visualizá-la. Quando perder a visualização, abra os olhos novamente olhe para a imagem.

7- Olhe para o mandala e deixe os seus pensamentos fluírem, observando-os sem se deter neles.

 

8- Perceba que, quando sua mente se aquieta, você gasta menos energia com o pensamento. É hora de funcionar a intuição, o auto conhecimento, a clarividência e a clariaudiência. Começam a emergir (interiormente) potenciais normalmente submersos do seu ser.