Borbulhas de amor
(Raimundo Fagner)
 
Tenho um coração,
dividido entre a esperança e a razão.
Tenho um coração,
bem melhor se não tivera.
 
Esse coração,
não consegue se conter ao ouvir tua voz.
Pobre coração,
sempre escravo da ternura.
 
Quem dera ser um peixe
para em seu límpido
aquário mergulhar.
Fazer borbulhas de amor
para te encantar.
Passar a noite em claro
dentro de ti.
 
Um peixe, para enfeitar
de corais sua cintura
Fazer silhuetas de amor
a luz da lua
Saciar essa loucura
dentro de ti.
 
Canta coração,
que esta alma necessita de ilusão.
Sonha coração,
não te enchas de amargura.
 
Esse coração,
não consegue se conter ao ouvir tua voz.
Pobre coração,
sempre escravo da ternura.
 
Quem dera ser um peixe
para em seu límpido
aquário mergulhar.
Fazer borbulhas de amor
para te encantar.
Passar a noite em claro
dentro de ti.
 
Um peixe, para enfeitar
de corais sua cintura
Fazer siluetas de amor
a luz da lua
Saciar essa loucura
dentro de ti.
 
Uma noite, para unir-nos
até o fim.
Cara a cara,
beijo a beijo,
E viver pra sempre
dentro de ti.