Sinastria

Tudo nasce numa relação. Num estudo de relacionamento, é fundamental que analisemos as características numerológicas individuais para avaliarmos o que cada um coloca na sua relação. Também devemos descobrir o que a mistura dessas vibrações, que é representada pela soma dos números, trás para as pessoas envolvidas. Depois, devemos calcular, qual é a dificuldade que esses seres enfrentam quando seus números se confrontam, que é representada pela diferença dos mesmos. A partir do momento em que as dificuldades são compreendidas e enfrentadas, tudo se torna melhor em qualquer tipo de relação. Mas do mesmo jeito que ocorre uma união, com certeza vem uma dificuldade.

É costume dizer que número par é compatível com o par, e o ímpar é compatível com o ímpar. Só que se você pensar friamente nem sempre isso é verdadeiro, porque às vezes vamos encontrar números da mesma categoria e desarmônicos.

Existem números:

Harmônicos entre si (independente ou não de pertencer a mesma categoria).

Opostos dentro da mesma categoria (são aqueles que um vai querer ir para um lado e outro vai querer ir para outro lado).

Harmônicos de categorias diferentes individuais (porque numa relação cada pessoa tem seu próprio potencial (cada qual tem suas qualidades, seus defeitos e suas dificuldades).

Desarmônicos entre si.

Tudo isso é analisado através do principais itens do mapa numerológico. Na hora que observamos tudo, é que verificaremos, se o resultado vai: ajudar, atrapalhar, ser desafio, facilitar para um ou complicar para o outro. A dificuldade de uma família em relação à outra, vai ser a diferença dessas duas famílias. Podemos estudar os relacionamentos não só de casais, mas também: mãe, filha e sócios, irmãos – o número que você encontra na soma, é o compromisso que existe nessa relação. Depois em seguida, verifica-se a dificuldade, para tentar entendê-la.