Formas de Preparo e Aplicação  de Plantas Medicinais

 

Chás

 

O chá é a maneira mais comum de se usar as plantas medicinais. Eles devem ser ingeridos preferivelmente, de manhã, em jejum, e a noite, antes de deitar. A preparação de um chá pode ser de várias formas:  

 

a. Infusão: Colocar o material em uma vasilha, despejar sobre elas água fervendo e deixar repousar por 15 minutos. Para talos, cascas e raízes antes de despejar a água fervendo deve se picar muito bem o material, deixar repousar por 20 minutos.

 

b. Decocção: Coloca-se sobre o material água fria e cozinha-se durante 5 a 30 minutos. Esta forma é mais utilizada para talos, raízes e cascas onde se cozinha 15 a 30 minutos. Desligue o fogo, tampe e espere alguns minutos antes de coar. Não se deve cozinhar partes tenras com partes duras da planta, ou sejam, folhas e flores com raízes e talos por exemplo. Por isso o armazenamento deve ser separado mesmo que a espécie seja a mesma.

 

c. Maceração: Colocar-se o material (folhas, flores, sementes, talos, raízes e cascas) em água fria durante 10 a 24 horas dependendo do material. Quanto mais duro mais tempo: Flores, folhas e sementes 10 a 12 horas; Talos, raízes e cascas 22 a 24 horas. Depois é só coar. Este processo conserva vitaminas e sais minerais do material. 

 

d. Tisana: Numa panela de água fervente colocam-se as ervas e tampa-se. Deixar ferver por mais cinco minutos, tirar do fogo e deixar repousar bem tapado antes de coar. 

 

Dosagem

A dosagem de chá deve ser de 20 gramas (uma colher de sopa) de erva para um litro de água. Adultos devem tomar de 4 a 5 xícaras por dia. Em crianças entre menores de 10 anos duas a três xícaras, menores de 5 anos de uma a duas xícaras , menores de 2 anos uma xícara por dia. Para gargarejos, inalações, lavagens, compressas e outro fins externos as dosagens podem ser mais fortes.

Recomendações: Recomenda-se utilizar para confecção do chás utensílios de louça, vidro ou vasilhas esmaltadas. O melhor e beber os chás ao natural, porem pode se usar mel para este fim. Não se deve tomar chá por tempo prolongado. De 10 em 10 dias deve-se variar o tipo de chá. Alguns chás fermentam de um dia para o outro, por isso deve-se fazer a quantidade exata de chá para ser tomado durante o dia.

 

 Sucos

Os sucos são muito mais ricos e benéficos que os chás. Porém devem se usar ervas cruas nem sempre disponíveis dependendo de onde moramos ou da estação do ano que nos encontramos. É facilmente confeccionado pela simples trituração das ervas crus passando-se em seguida por um coador.

Dosagem: Para adultos cinco gotas de suco em uma colher com água de duas em duas horas; Crianças menores de 10 anos três gotas; menores de 5 anos duas gotas; menores de 2 anos uma gota.

Recomendações: Assim que o suco é preparado deve ser tomado. Evitar guardar por muito tempo. É importante manter o intervalo de tomar o suco de duas em duas horas mesmo em dosagens pequenas como as para crianças.

 

Saladas e Sopas

 

O uso de ervas cruas tenras em saladas e sopas dão bons resultados. Porem algumas ervas possuem gosto muito forte e muitas vezes amargo devendo ser misturadas em quantidades menores que outras.

Dosagem: As ervas de sabor muito forte devem ser utilizadas em pequenas quantidades misturadas as folhas e legumes utilizados naturalmente (Alface, agrião, hortelã etc.).

Recomendações: Como se usa as ervas cruas é importante que se tenha muito cuidado na coleta das ervas para não se usar plantas venenosas por engano.

 

 Xaropes

Contra afecções das vias respiratórias (bronquite, tosse, rouquidão, etc.) podem ser preparados xaropes, os quais são preparados misturando sucos, decoctos ou macerados, meio a meio com mel. Pode-se prepará-lo quente ou frio.

Dosagem: Para adultos cinco colheres por dia; Crianças menores de 10 anos três colheres; menores de 5 anos duas colheres; menores de 2 anos uma colherada dividida em doses menores durante o dia.

Recomendações: A elaboração dos xaropes é um pouco complicada e exige mais conhecimentos sobre as ervas da pessoa que vai prepará-lo.

 

 Banhos

 

O uso externo das ervas dão ótimos resultados em forma de banhos de tronco e complementa o tratamento interno. Prepara-se o decocto na dosagem recomendada e coloca-se na água do banho (bacia, balde ou banheira).

Dosagem: Para cada litro de água se usa de 30 a 60 gramas de ervas.

Recomendações: O vapor da água do banho de plantas medicinais como cavalinha e eucalipto entre outras servem para várias enfermidades.

 

 Cataplasmas

 

Usados externamente os cataplasmas tem efeito calmante sobre nevralgias, inchaços, contusões, reumatismo, gota, supurações, etc. Pode-se utilizar ervas frescas, secas ou em forma de pasta. Estas são aplicadas diretamente sobre o lugar dolorido ente dois panos bem limpos quente ou frias.

Dosagem: Para cada litro de água coloca-se de 60 a 120 gramas de ervas cozinha-se e aplica em forma de compressa quente sobre a parte dolorida.

Recomendações: No preparo dos cataplasmas, devem se usar colheres de madeira. As colheres de metal podem contaminar a massa por permanecerem por muito tempo em contato com a mesma.

 

 Ungüentos

 

Para confecção de ungüentos é preciso retirar o suco das ervas frescas (hipericão, bardana, calêndula, arnica, tanchagem, etc., misturadas à gordura vegetal ou manteiga fresca sobre fogo até derreter.

Dosagem: As dosagem devem ser bem altas de suco de ervas que podem ser misturadas.

Recomendações: Para dar mais espessura ao ungüento pode-se misturar a massa cera de abelha.

 

 Azeites

 

Mistura-se o Azeite puro de oliva com ervas como camomila, alfazema, hipericão, etc. e coloca-se ao sol e coa-se após 15 dias de exposição da mistura.

Dosagem: De acordo com o tipo de tratamento interno ou externo.

Recomendações: A garrafa deve permanecer bem tapada durante o processo de exposição ao sol.