Os quatro animais celestiais:

Os quatro animais celestiais são figuras simbólicas que representam as quatro direções e também são os que protegem a ordem cósmica. Possuem papel importante na arte e na astrologia, na Coréia e no leste Asiático. As evidências desses animais foram achados em pinturas folclóricas, espelhos de bronze e bem detalhada nas paredes de uma tumba da época do Reino Koguryo.

Cada animal celestial representa uma constelação. Observando as posições delas no céu  os coreanos determinavam com precisão o inicio de cada estação do ano:

Dragão: Primavera. Acarreta boa sorte, paz e felicidade.

Tigre: Outono. Proporciona estabilidade e proteção para o ambiente.

Fênix: Verão. Atrai prosperidade e sucesso.

Tartaruga: Inverno. Cria um ambiente de saúde e causa a longevidade.

 

DRAGÃO VERDE (CH' ONGNYONG)

 

Representa o Leste. O dragão nasceu no meio de uma tempestade com raios, trovões e chuva abundante, e era originalmente uma "Água de Deus". Muitos rituais de reza para a chuva e para um viagem segura no mar eram direcionados ao Rei Dragão. Ele é reverenciado como símbolo de autoridade suprema na Terra. É ele que defende as leis do budismo ou as riquezas nacionais. Os dragões  desejam empurrar as nuvens e subir ao céu. Os que falharem nessa tentativa continuam na Terra na forma de cobras e lagartos. A "subida dos dragões" reflete a esperança de uma nação inteira.

O PÁSSARO VERMELHO (CHUJAK)

 

Representa o Sul. A nix, o mais belo de todos os animais, simbolizava a esperança e a continuidade da vida após a morte. Revestida de penas brilhantes, vermelho-arroxeadas,  e douradas (as cores do Sol nascente), possuía uma voz melodiosa. Quando a ave sentia a morte aproximar-se, construía uma pira de ramos de árvore da canela, em cujas chamas morria queimada. Mas das cinzas erguia-se então uma nova ave. Dizia-se que estas cinzas tinham o poder de ressuscitar um morto. A vida longa da nix e o seu dramático renascimento das próprias cinzas transformaram-na em símbolo da imortalidade e do renascimento espiritual. Em todas as mitologias o significado é o mesmo: a perpetuação, a ressurreição, a esperança que nunca têm fim.

O TIGRE BRANCO (PAEKHO)

 

Representa o Oeste. A relação dos coreanos com os tigres é especial. Devido ao seu rosnar forte ele era motivo de medo e receio. Era considerado o mensageiro do espírito da montanha. Hoje em dias não são mais encontrados na Coréia do Sul. Mas cem anos atrás, não havia uma montanha coreana que não tivesse um tigre. O tigre coreano é conhecido como assustador e ao mesmo tempo familiar, bravo ao mesmo tempo leal. Ele algumas vezes briga com a hipocrisia da sociedade humana.

A TARTARUGA PRETA (HYONMU)

 

Representa o Norte. A tartaruga está associada á energia da água. Simboliza a longevidade; representa a proteção, segurança, a estabilidade e o equilíbrio.

 

 

 

APLICAÇÃO DOS QUATRO ANIMAIS CELESTIAIS NO FENG SHUI

 

Em termos práticos, o Feng Shui estuda, avalia e propõe situações de harmonia e equilíbrio dos espaços, usando as imagens representativas das diferentes qualidades da energia dos animais celestiais.

Imagine uma cadeira de braços que tem as costas mais altas (Tartaruga), os braços (do lado esquerdo temos o Dragão e do lado direito o Tigre) que apóiam, criando uma sensação de apoio, pois são mais baixos do que a tartaruga. A frente fica livre (Fênix). Esta é a imagem de uma situação equilibrada e que fornece conforto e segurança para quem a utiliza.

A Escola da Forma (tradicional escola de Feng Shui) possui técnicas que valorizam e  aplicam a Teoria dos Quatro Animais Sagrados, relacionando-os com  a topografia do terreno e com os pontos cardeais, para uma boa circulação de energia no terreno e na moradia.

Assim, a Tartaruga deve ficar ao norte, para proteger a construção ou terreno. O mais aconselhável seria termos neste ponto uma montanha alta, um prédio mais alto, um muro, uma parede, ou algo que nos proteja e dê segurança.

A  fachada da casa é deve ser aberta e ter boa visão. É nesse ponto o sul, que se localiza a Fênix. Aqui não podemos ter nenhum tipo de elevação ou construção, já que a ave deve ver ao longe e ter liberdade para voar.
Ao leste, onde está o Dragão, devemos ter uma elevação menor que a montanha da Tartaruga
: pode ser uma barreira de árvores. Ao oeste, onde se localiza o Tigre, devemos ter uma elevação menor que a do Dragão, para dar liberdade ao animal: pode ser um muro ou blocos de pedras. Ou apenas prédios dos dois lados, respeitando os tamanhos do Dragão e do Tigre.

 

 

ou